THE UP FOOD POWER BIOGRAPHY

NOÉLIA JERÓNIMO, CHEF

Corria o mês de julho de 1971 quando a serra algarvia viu nascer a pequena Noélia. Foi também no mês de julho, 14 anos mais tarde, que a então jovem Noélia resolveu ir trabalhar para ganhar uns trocos para as suas coisas. Mais exatamente a 16 de julho do ano de 1985, como recorda, entrava pelas portas da então Pastelaria Jerónimo, naquela que viria a ser a sua casa… até hoje!

Foi ali, no coração de Tavira, que viria a conhecer o seu futuro marido, o filho do dono da pastelaria. Quando casaram compraram a pizzaria ao lado e durante anos funcionaram como pastelaria e pizzaria. Noélia aprendeu todas as técnicas com um pizzaiolo. Ao mesmo tempo, e sabendo que o marido não achava tanta graça às pizzas, Noélia começou a experimentar outras coisas na cozinha que rapidamente começaram a ganhar mais destaque entre os clientes e foi assim que em 2007 começaram a transformação do restaurante-pizzaria-pastelaria apenas em restaurante até chegar à “forma” que conhecemos hoje. Nascia assim o Noélia & Jerónimo, em Cabanas de Tavira.

A Chef Noélia Jerónimo começava então um percurso fora do seu Algarve. Saiu pela primeira vez para cozinhar a convite do Chef Nuno Diniz, a primeira pessoa que apostou nela, como faz questão de mencionar sempre. De Tavira para a The York House, nas Janelas Verdes, em Lisboa. Mais tarde seria a chef convidada para representar o sul na Quinzena Gastronómica do Algarve no Hotel Tivoli em Lisboa, promovida por Maria de Fátima Moura.

Seguiu-se então um prémio dos Rotários de Tavira e Noélia Jerónimo achava, naquela altura, que tinha ganho todos os prémios que poderia desejar. Puro engano! Seria mais tarde agraciada com a Chave de Bronze da cidade de Tavira e veria o seu restaurante, Noélia & Jerónimo ser distinguido por várias vezes com os famosos garfos do guia Boa Cama Boa Mesa. Faz questão de referir que para ela, é “o” seu Guia Michelin e que trabalha afincadamente para manter os seus garfos e continuar a figurar ao lado dos grandes chefs da nossa praça. Reconhece que têm sido também estes prémios que, ano após ano, lhe trazem cada vez maior reconhecimento e, por consequência, mais clientes e prestígio. Autodidata, apaixonada e dedicada é considerada por muitos a verdadeira embaixadora da Gastronomia Mediterrânica. Genuinamente empreendedora, recebeu o prémio de Mérito na categoria “Gastronomia” pela Associação das Mulheres Empreendedoras Europa & África.

Ao seu sucesso, Noélia não ignora o precioso contributo de Miguel Esteves Cardoso que escreve regularmente sobre o Noélia & Jerónimo, tendo-o inclusivamente classificado como o “melhor restaurante do mundo”.

A chef algarvia, de sorriso genuíno, destaca ainda no seu percurso algumas das suas aventuras internacionais, como a ida a Macau, em 2018, para cozinhar no Clube Militar (onde espera poder voltar em breve!), ou o convite do seu grande amigo e chef Vitor Sobral para cozinhar na Tasca da Esquina, em São Paulo.

Na sua memória ficou também o seu encontro com Roberta Sudbrack, a chef brasileira com quem teve o privilégio de cozinhar no Rio de Janeiro e com quem Noélia Jerónimo se identifica muito. A difícil gestão de recursos humanos e a gestão diária de uma cozinha estão entre os maiores desafios do dia a dia da Chef Noélia Jerónimo para quem a criação de relações fortes com os clientes é uma missão.

Noélia Jerónimo é, de facto, uma apaixonada pelo que faz e mesmo quando viaja em lazer acaba sempre por dar “um pezinho de dança” na cozinha, seja em território nacional ou além-fronteiras, como recorda da sua viagem a São Tomé e Príncipe.

A “Cozinheira dos Chefs” como é carinhosamente chamada pelos seus pares, e não só, considera um enorme privilégio poder ter já cozinhado com alguns dos seus chefs e amigos, como Justa Nobre (Nobre, em Lisboa), Rodrigo Castelo (Taberna ó Balcão, em Santarém), Vitor Matos (Vidago Palace Hotel), Leonel Pereira (então no famoso São Gabriel) e Guy Doré (Pequeno Mundo, em Almancil). Acredita na inspiração mútua entre cozinheiros e vibra com a visita dos seus colegas e amigos à sua casa, em Tavira; ou, com o facto de ter sido convidada, já em 2020, a participar na edição especial do Gelinaz, ao lado de chefs de renome internacional a convite de José Avillez, no Belcanto. Depois de um ano tão difícil para o setor da restauração e hospitalidade, esta oportunidade foi recebida com grande entusiasmo e alegria.

Considera que ainda lhe falta fazer quase tudo, que sente que não sabe quase nada e tem muito para aprender para fazer mais e melhor. Resume a sua arte na combinação harmoniosa de alimentos no prato e tem no mar, e na Ria Formosa, as suas maiores fontes de inspiração. A comida de conforto, que nos remetem para as memórias de infância, os pratos de arroz, o peixe, as ostras e os mariscos em geral estão entre as suas preferências na cozinha que a faz feliz. O segredo da sua cozinha está nas coisas simples, na utilização de produtos de época e na frescura dos ingredientes que utiliza.

Pin It on Pinterest

Share This