THE UP FOOD POWER BIOGRAPHY

DIOGO NORONHA, CHEF

Diogo Noronha entrou no mundo do trabalho, aos 17 anos, pela música, mas seria outra arte a tomar-lhe conta da vida. Para garantir a sua independência, dedicou-se à promoção de espectáculos musicais a par da licenciatura em Comunicação Social e Digital Interactiva. Ainda chegou a estagiar nessa área, mas o impulso de correr o mundo falou mais alto e partiu. Meses a fio pela Índia, Nepal, Tailândia, Laos, Cambodja e Vietnam. Mas a maior viagem foi
mesmo a interior. Junto dos Monges Budistas aprofundou a meditação, descoberta na adolescência, e rendeu-se definitivamente à arte da culinária. Diogo Noronha aprendeu a cozinhar, também na adolescência, para respeitar a dieta vegan, que seguiu durante dez anos. Mas nesta viagem teve a certeza que queria dedicar-se profissionalmente à culinária. O profundo contacto com o Oriente está reflectido na importância que ele dá a cada pormenor e no seu interesse pela cozinha holística, associada à medicina tradicional chinesa e ayurvédica. Do Oriente seguiu para Nova Iorque, para estudar no Natural Gourmet Institute for Health and Culinary Arts. Logo a seguir, entra para o Pure Food and Wine, a referência mundial da dieta “Raw”, de onde sai quando foi selecionado pelo chef Thomas Keller, detentor de três estrelas Michelin no seu restaurante, “Per Se”, símbolo máximo da Alta Gastronomia nova-iorquina.

Passados dois anos, volta à Europa para integrar a equipa do famoso restaurante Moo, em Barcelona. Este espaço, com uma estrela Michelin, era assessorado pelos irmãos Roca, donos do El Celler de Can Roca, considerado em 2013 como o melhor restaurante do Mundo pela Revista Restaurant e galardoado com 3 estrelas Michelin. A incessante procura pelo conhecimento leva Diogo Noronha até ao Alkimia, também distinguido com uma estrela Michelin, liderado por Jordi Villa, um dos mais talentosos chefes de Espanha. Em 2009, e passados sete anos, regressa a casa e revela toda a sua capacidade criativa no restaurante Pedro e o Lobo, do qual era sócio. Após este projeto, um dos mais trendy da capital, Diogo Noronha é convidado em 2013 pela Mainside, cujas faces mais visíveis são a Lx Factory e a Pensão Amor, para desenvolver o sector da restauração no grupo. A Casa de Pasto foi o primeiro projeto e, em novembro de 2015, inaugurou o gastrobar Rio Maravilha na Lx Factory. Em finais de 2016 deixou o grupo MainSide para conceber e liderar o projeto Pesca(Prato Michelin 2018 e 2019) em parceria com a Plateform. Já em 2020, Diogo Noronha embarca numa nova aventura, ainda por revelar. Nomeado para chef do ano pela revista Time Out em 2015, Diogo Noronha foi considerado nesse ano pelo El Mundo como um dos seis chefs portugueses que estão a revolucionar a gastronomia portuguesa. Em 2018 e 2019 o seu projeto Pesca foi reconhecido com várias nomeações e com o selo Prato Michelin pela sua qualidade e criatividade.

Pin It on Pinterest

Share This